Pocket

Atuação: Pesquisa e atividade

Discutir a sinergia entre meio ambiente e saúde pública constitui um dos grandes desafios contemporâneos.  Certamente, a contaminação ambiental afeta os seres vivos.   Entretanto, a noção de que a indústria química moderna é responsável pela epidemia de câncer, defeito neo-natal e outras anomalias  físicas devido à contaminação de água, ar, solo e alimentos  por compostos tóxicos, requer uma revisão geral.  O dogma reinante de que o natural é benéfico e o sintético é prejudicial, não está correto!.  A mentalidade do “vitalismo”  de que a natureza é perfeita ainda persiste. O uso de ‘borra galinácea’  como ‘fertilizante orgânico’ é discutível, pois pode ser o foco de disseminação de virus contagiosos como no caso recente de gripe avária H5N1. As fezes em geral, independente do animal,  contém microrganismos benéficos ao metabolismo e pode servir como um simbionte no crescimento, mas servem também como transportadores de virus e microrganismos contagiosos.  

Antes do advento de fertilizantes sintéticos, as fezes animais, inclusive humano era usada na agricultura.   Em geral, as plantas,  animais e microorganismos  produzem  substâncias para a própria defesa e muitos desses compostos, obviamente, são nocivos à saúde  humana, embora, a maioria,  não sejam carcinogênicos.

Post by IAFV

IAFV é uma organização sem fins lucrativas para exercer atividades de projeto socioambiental educacional no Brasil.