Pocket

Até recentemente, a água era considerada potável na ausência de microrganismos nocivas (coliformes totais), coloração e ser transparente.

O tratamento com o cloro para desinfecção foi essa finalidade.  Embora a prática de clorar a água é aceita mundialmente, estão surgindo oposições devido ao fato de que um dos produtos dessa prática é carcinogênico.

Com o advento de efeitos devido à contaminação de metais pesados como mercúrio*, chumbo**, cádmio***  e  a publicação do livro “Primavera Silenciosa” de Rachel Carson (1962)  o critério para ser denominada “água potável”  tornou-se extremamente restrita.

O livro alertou o uso desenfreado de pesticidas  que alterava os processos celulares das plantas, reduzindo as populações de pequenos animais e colocando em risco o homem.

Deu início ao movimento ambientalista moderno, desencadeando um debate nacional e internacional sobre o uso de pesticidas químicos, a responsabilidade da ciência.

Podemos dizer que foi o início de descrença pública em ciências e a resistência que vemos contra o  GMO.     Quanto ao DDT, existe um dado sólido indicando um efeito insignificante no homem mas será extremamente difícil reusá-lo contra o controle de malária.

 

O problema básico no uso de inseticidas e pesticidas é o fato de não serem específicos, afetando todas as espécies.  Estão em andamento, há mais de duas décadas, o desenvolvimento de inibidores de canais iônicos específicos de cada espécie.    Ou o desenvolvimento de inseticidas  e pesticidas naturais  biodegradáveis. 

Outro problema que enfrentamos é a mobilidade desses compostos agrotóxicos  afetando o ambiente aquático, deslocamento no solo e podendo atingir as águas subterrâneas.  O fato de serem altamente persistente no meio ambiente de difícil degradação. 

 

* mercúrio usado na mineração de ouro tem causado muitos efeitos fisiológicos graves, como a perda de memória, distrofia muscular, efeitos irreversíveis.   

** chumbo – plumbismo:  devido à sua maleabilidade, o chumbo foi utilizado nos utensílios de vida quotidiana na época romana, chegando aos historiadores a dizerem que a queda do Império Romano foi devido ao plumbismo.           

***contaminação de grão de arroz cultivado num solo contaminado por cádmio, levando à porosidade óssea –  “doença itai-itai  – doença dói-dói ” ocorrido no Japão em 1912.   A planta Cannabis sativa  (maconha) tem alta tendência em retirar cádmio do solo. 

Post by IAFV

IAFV é uma organização sem fins lucrativas para exercer atividades de projeto socioambiental educacional no Brasil.